Lajedo de Soledade



Lajedo de Soledade.

O Lajedo de Soledade, um dos sítios arqueológicos mais importantes do Brasil, está localizado na região Oeste do Rio Grande do Norte, no município de Apodi, a 12 km do centro da cidade. O município tem cerca de 33 mil habitantes e fica a cerca de 335 km de Natal (cerca de 4 horas e 30 minutos de carro ) e a 76 km de Mossoró, a segunda maior cidade do Estado.

Localizado numa área de um quilômetro quadrado de rocha calcária, do período paleolítico, o Lajedo de Soledade quase foi destruído pelos produtores de cal da região. Mas a intervenção de geólogos da Petrobras e dos próprios moradores do distrito do Lajedo, no início da década de 90, acabou salvando este sítio.

No lajedo, pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte encontraram fósseis de animais pré-histórico, como o bicho-preguiça e tatus gigantes, mastodontes e tigres-de-dente-desabre que viviam no Nordeste no período Glacial, além de pinturas rupestres.

São vários os painéis dessas pinturas ainda preservadas que se encontram no leito de um rio seco, que podem ser observadas em visitas acompanhadas por guias. Segundo pesquisadores, os desenhos dessas pinturas teriam sido feitos por índios que habitavam essa região no período pré-histórico.

A área do lajedo está situado a menos de 300 metros da vila de casas dos moradores desse distrito, que fica a 6 km da margem direita da BR-405, que liga Mossoró a Apodi. O acesso é por estrada asfaltada até o distrito.

Segundo os geólogos da Petrobras, que na década de 90 ajudaram a população a criar a Fundação Amigos do Lajedo de Soledade (FALS) e a instalar o Museu e o Centro de Atividades do Lajedo (CAL), há 90 milhões de anos, toda a área era coberta por um mar raso que, ao recuar, relevou uma grande extensão de rocha calcária.

O lajedo é constituído por uma área de rocha calcária que sofreu a erosão da água das chuvas, abrindo um mini cânion com cavernas e fendas onde estão gravadas as pinturas rupestres, representando figuras de espécies que seriam araras, papagaios, garças, lagartos e formas geométricas. Já foi tema de documentário de 30 minutos na BBC de Londres. Ocupou páginas de revistas e jornais de circulação nacional e internacional. Foi tema de inúmeras reportagens na TV e em vários outros veículos de comunicação do Brasil. É fonte inesgotável de conhecimento científico para centenas de pesquisadores, inclusive as mais respeitadas do mundo. Recebe, por mês, até 700 visitantes, dos quais 90% são estudantes e professores.


Lajedo de Soledade

O sítio arqueológico é localizado em Soledade, distrito de Apodi, no Rio Grande do Norte, a 80 quilômetros de Mossoró.

Como chegar

A melhor opção é partir de Mossoró pela BR-405 em direção a Apodi. De Mossoró são 73 quilômetros até a entrada para Soledade e de lá mais sete quilômetros até o Lajedo.

Funcionamento

As visitas ao Lajedo de Soledade podem ser feitas de terça a domingo, das 8 às 17 horas, sempre com acompanhamento de guia da Fundação dos Amigos do Lajedo de Soledade (Fals), entidade que mantém o local.

Preço

Para cada grupo de até 15 pessoas é cobrada a taxa de R$ 25,00 do trabalho do gruia na condução e acesso ao sítio arqueológico.
O valor cobrado para a entrada referente ao museu e o sítio arqueológico é R$ 5,00 por pessoa. Para grupos de Escolas particulares ou públicas o valor da entrada no Museu fica R$ 3,00.